quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Conhecimento Livre




Conhecimento Livre

20081012 - reformatação para facilitar leitura 


(*) Distribuído originalmente em 2003 (primeiro Portal da SBGC) 
(**) Distribuído por e-mail (network pessoal) em 2002 


Objetivo : Promover o aperfeiçoamento físico, intelectual, emocional e espiritual da humanidade, através do compartilhamento voluntário do conhecimento (vivência, experiência) dos associados, visando proporcionar uma vida mais harmoniosa e plena (uso das potencialidades individuais e grupais), à comunidade humana. 


Visão orientadora : Vivemos uma época de grandes possibilidades de realizações, permitidas pela disponibilidade de meios técnicos facilitadores da interação e mútua fecundação (intelectual, emocional e espiritual), para a grande maioria da população do planeta. 


Temos a possibilidade de construir "sinapses tecnológicas" entre os seres vivos, de modo análogo às sinapses entre neurônios que são a base da capacidade de operação de cada cérebro individual. 


Instrumentos de ação : Internet (sites e grupos de estudos/discussões), E-Mail, reuniões, palestras e qualquer outra forma de comunicação entre indivíduos. Redes de idéias como resumos e chaves de acesso aos documentos produzidos. 


Princípios :


O conhecimento é a riqueza perfeita, pois pode se reproduzir indefinidamente, sem se deteriorar, além de crescer exponencialmente à cada multiplicação, pois o ato de o compartilhar amplia o conhecimento de quem orienta, além de reproduzi-lo em quem é orientado, enriquecido neste pelas vivências pessoais. 


As idéias/sensações (como unidades de conhecimentos), não podem ser escondidas ou entesouradas, uma vez que tendem à se manifestar em vários indivíduos, submetidos à condições similares, sendo a atual proliferação de instrumentos de comunicação um poderoso fermento de produção e compartilhamento de conhecimento. Assim, mesmo que um indivíduo ou grupo, que tenha manifestado em si uma idéia/sensação, decida não partilhar a informação sobre este conhecimento (em prejuízo próprio, como conseqüência do primeiro princípio) não terá como impedir a manifestação do conhecimento em outros indivíduos ou grupos. 


A carência humana de posse e, em alguns casos, de ostentação de posse, trabalha a favor do desenvolvimento do conhecimento, pois a posse é incrementada pela distribuição, ou seja, mais detém conhecimento quem mais o compartilha, ou monta melhores redes para consegui-lo. Já a ostentação do conhecimento só é possível em grupos que tenham conhecimento similar, podendo avaliar e valorizar o conhecimento possuído pelo ostentador. 


O custo de "venda" de uma mentira (entendida como idéias/sensações em desacordo com as necessidades do "comprador") é muito maior que o da disseminação de uma verdade, exigindo um grande esforço de persuasão. Enquanto isto a "venda" de uma verdade (entendida como idéias/sensações que vem ao encontro das necessidades do "comprador"), costuma se fazer por si só, com custos muito baixos, em termos de recursos de comunicação. Pequenos eventos costumam destruir falsas imagens construídas com grandes esforços. A sabedoria popular expressa bem este principio com os ditados : "A mentira tem pernas curtas" / "É fácil contar uma mentira, difícil é sustentá-la". 

Um comentário:

Dalton Martins disse...

e viva o conhecimento livre a livre circulação da informação em domínios cognitivos cada vez mais amplos!

abs,
dalton